Content
  • PT
  • ENG
© Flickr/crystl
Artigo
Publicado em 14/2/2013 por Joana Torres*

Segundo o sistema ABO, há 4 tipos de grupos sanguíneos diferentes, que dependem da presença de substâncias na superfície dos nossos glóbulos vermelhos.

São estes: o Grupo A, o B, o AB e o O.

O que caracteriza cada um destes grupos?

As substâncias presentes na superfície dos nossos glóbulos vermelhos são designadas por aglutinogénios e são elas que caracterizam os diferentes grupos sanguíneos. Estas proteínas são responsáveis por desencadear respostas imunitárias específicas que ocorrem quando estas proteínas são reconhecidas/detetadas pelo nosso sistema imunitário, através das aglutininas (anticorpos).

Quais as características dos diferentes grupos sanguíneos?

Considerando os aglutinogénios (A e B) e os quatro tipos de grupos sanguíneos – A, B, AB e O - verifica-se que o sangue do tipo A caracteriza-se pela presença de aglutinogénios A na superfície dos glóbulos vermelhos, o sangue do tipo B pela presença de aglutinogénios B, o sangue do tipo AB pela presença dos dois (A e B) e o tipo O por não possuir nenhum (zero) - Figura 1.

Figura 1 – Representação dos glóbulos vermelhos dos diferentes grupos sanguíneos.

O Sistema ABO foi estabelecido por Karl Landsteiner, no início do século XX, facto que lhe valeu o Prémio Nobel da Fisiologia ou Medicina, em 1930. Após verificar que nem todas as transfusões sanguíneas eram bem sucedidas, este médico dedicou-se a estudar as diferenças existentes no sangue das pessoas. Assim, realizou algumas experiências, nas quais misturava glóbulos vermelhos com plasma sanguíneo de diversos tipos de sangue, ocorrendo, em alguns casos, reações de aglutinação e noutros não.

Que fator era responsável por esta reação de aglutinação?

Para além dos aglutinogénios presentes na membrana dos glóbulos vermelhos, os diferentes tipos de sangue caracterizam-se por possuírem aglutininas (anticorpos) no seu plasma. De facto, o sangue do tipo A possui aglutininas anti-B no seu plasma e o tipo B aglutininas anti-A. Da mesma forma, o sangue do tipo AB caracteriza-se pela ausência de aglutininas no seu plasma e o sangue do tipo O por possuir aglutininas anti-A e anti-B no plasma (Figura 2).

Figura 2 – Representação dos glóbulos vermelhos e das aglutininas dos diferentes grupos

De acordo com estes dados, se se misturar, como exemplo, glóbulos vermelhos do tipo A com o plasma de sangue do tipo B, ocorre a aglutinação dos aglutinogénios A com as aglutininas anti-A e posterior precipitação dos glóbulos vermelhos.

Assim, no caso das transfusões sanguíneas, é necessário ter em conta estas características dos diversos tipos de sangue, de forma a evitar uma reação de aglutinação entre os aglutinogénios e as aglutininas, que conduz à precipitação dos glóbulos vermelhos, podendo levar à morte do indivíduo que recebeu a transfusão.

Outro fator a ter em conta no caso de uma transfusão sanguínea é o fator sanguíneo Rhesus (Rh) – proteína existente na membrana dos glóbulos vermelhos. Os indivíduos que possuam o fator Rh são designados por Rh+ e os que não possuem por Rh-. Contrariamente ao sistema ABO, um indivíduo Rh- apenas desenvolve um anticorpo anti-Rh se houver contacto com sangue de indivíduos Rh+.

Uma vez que o sangue do tipo O- não possui aglutinogénios (A e B), nem o fator Rh nos glóbulos vermelhos, os indivíduos do tipo O- são dadores universais. Os indivíduos do tipo AB+ são recetores universais, dado não possuírem aglutininas (anti-A e anti-B) no plasma, nem desenvolverem anticorpos anti-Rh.

Foto: Crystl/Flickr

Ilustração: Carla Preto

*Este artigo foi desenvolvido no âmbito da disciplina de "Divulgação Científica", pertencente ao Doutoramento em "Divulgação e Educação das Ciências", da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto. Integra o concurso "Sangue, Arte e Ciência: uma relação criminosa?", o primeiro da série de passatempos subordinados ao tema "Uma Ideia para Ler".

Partilha


Comenta

Consola de depuração Joomla

Sessão

Dados do perfil

Utilização de memória

Pedidos à Base de dados