Content
  • PT
  • ENG

Artigo
Publicado em 16/1/2015 por Isabel Pereira, Joana Gonçalves e Renata Silva

  

Esta semana destacamos uma investigação internacional com participação portuguesa. Um grupo de cientistas descobriu um novo alvo terapêutico para défices de memória: os recetores A2A para a adenosina. O Ciência 2.0 esteve à conversa com Rodrigo Cunha, investigador da Universidade de Coimbra envolvido no estudo.

Realçamos ainda o estudo de João Arezes, investigador do Instituto de Biologia Molecular e Celular, publicado esta quarta-feira na revista norte-americana "Cell Host & Microbe". O português descobriu que a proteína responsável por regular o ferro no organismo também nos protege contra infeções graves.

Partilha


Comenta

flickr/PaoloMargari

Uma equipa internacional composta também por investigadores portugueses identificou um possível responsável pelo surgimento de falhas de memória.

flickr/PAHO

O Governo vai recorrer a financiamento europeu para passar 1220 investigadores das universidades para as empresas.

Google

A Google estendeu o Google Maps para o Google Indoor Maps que permite aos utilizadores a orientação dentro de edifícios.

flickr/janainacastelo

Um estudo avaliou, pela primeira vez, a importância das expressões faciais, como o sorriso, para nos recordar palavras associadas à felicidade, medo ou nojo.

flickr/Murtada al Mousawy

Investigador da UP descobriu que uma proteína responsável por regular o ferro no organismo pode ajudar no desenvolvimento de um medicamento contra a hemocromatose (excesso de ferro no sangue).

Consola de depuração Joomla

Sessão

Dados do perfil

Utilização de memória

Pedidos à Base de dados